Sangue oculto fecal

Compartilhe esta página
Imprimir este artigo
Esta página foi útil?
Nome formal: Sangue oculto fecal

De relance

Por que fazer este exame?

Para pesquisar sangramento grastrointestinal, que pode indicar câncer de cólon

Quando fazer este exame?

Como parte da rotina de triagem de câncer de cólon, ou pedido pelo médico levando em conta a história clínica familiar. Muitas organizações recomendam o exame anual a partir de 50 anos de idade.

Amostra:

Uma ou mais amostras de fezes.

É necessária alguma preparação?

Pode haver necessidade de evitar certos medicamentos e alimentos durante alguns dias antes da colheita das amostras.

A amostra

O que está sendo pesquisado?

O exame sangue oculto fecal pesquisa sangue nas fezes que não é percebido pelo simples olhar. O resultado positivo indica sangramento em algum ponto do tubo digestivo.

Como a amostra é obtida para o exame?

Há vários métodos de pesquisa de sangue nas fezes. Um deles é feito com cartões com guaiacol, outro usa um tecido com reagente que é jogado no vaso sanitário e outro, ainda, utiliza uma reação imunoquímica.

No método de cartões com guaicol, o médico ou o laboratório fornece um ou mais cartões de teste. São usadas várias amostras de fezes, em geral de três evacuações diferentes e em três dias consecutivos. Cada amostra é colhida em um frasco limpo e não deve ser contaminada com urina ou com água. Um cartão reagente é identificado com o nome do paciente e a data. É aplicada uma camada fina de fezes com um bastão na área marcada do cartão. Quando a amostra seca, o cartão é entregue ao médico ou ao laboratório.

No método do vaso sanitário, um tecido com reagente é colocado no vaso após uma evacuação. O tecido muda de cor na presença de sangue. O paciente observa qualquer mudança de cor e comunica ao médico ou ao laboratório. O tecido é depois eliminado com a descarga do vaso sanitário. Esse exame, como o anterior, geralmente é feito em três dias consecutivos.

No exame imunoquímico, o método de colheita varia com o fabricante. É comum o uso de um pincel ou outro dispositivo para recolher uma amostra da superfície das fezes e transferi-la para um cartão especial. Este, depois de seco, é enviado ao médico ou ao laboratório. Nesse caso, também são colhidas duas ou três amostras em dias consecutivos.

NOTA: Se exames médicos em você ou em alguém importante para você o deixam ansioso ou constrangido, ou se você tem dificuldade de lidar com eles, leia um ou mais dos seguintes artigos: Lidando com dor, desconforto ou ansiedade durante o exame, Conselhos sobre exames de sangue, Conselhos para ajudar crianças durante exames médicos, and Conselhos para ajudar idosos durante exames médicos.

Outro artigo, Siga essa amostra, fornece uma visão da coleta e do processamento de uma amostra de sangue e de uma amostra de cultura da garganta.

É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra?

  • Para os testes do guaicol e do vaso sanitário, há restrições especiais dentárias, dietéticas e de medicamentos.

    Esses métodos podem detectar sangue proveniente de qualquer parte do tubo digestivo, incluindo sangramento nas gengivas após procedimentos dentários ou causado por doença das gengivas. Também pode ser detectado sangramento gástrico após tomar aspirina. Por isso, recomenda-se que o paciente evite fazer qualquer procedimento dentário e usar aspirina por até três dias antes da colheita da amostra.

    Esses dois exames dependem de uma reação química que provoca alteração de cor quando o teste é positivo. Alguns alimentos, como carne vermelha, brócolis, nabo e rabanetes, medicamentos, como colchicina, e oxidantes, como iodo e ácido bórico, podem provocar a mesma reação mesmo sem haver sangramento digestivo (resultado falso positivo). Por outra lado, a vitamina C inibe a reação, mesmo na presença de sangue (resultado falso negativo).

    O médico ou o laboratório fornecem uma lista dos cuidados a serem tomados antes da colheita, que também estão relacionados no kit de colheita. Fale com seu médico antes de suspender qualquer medicamento.

  • Para o método imunoquímico, nenhuma preparação é necessária. Esse exame só detecta sangramento da parte final do tubo digestivo (cólon).

     

  • O exame

    Perguntas frequentes

    Pergunte ao laboratório

    * indica um campo necessário



    Por favor, indique se você é:   
      
      



    Você deve fornecer um endereço de e-mail válido para receber uma resposta.



    | |

    Fontes do artigo

    « Voltar para páginas relacionadas

    NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas.

    S1
    American Cancer Society. Detailed Guide: Colon and Rectum Cancer. Can Colorectal Polyps and Cancer Be Found Early? Colorectal Cancer Screening. Available online at http://www.cancer.org. Accessed 2/4/08.

    S2
    Laurie Barclay, MD (News author); Hien T. Nghiem, MD (CME author). Fecal Immunochemical Test May Be Most Effective for At-Home Colon Cancer Screening (CME). Release Date: November 15, 2006. Available online at http://www.medscape.com. Accessed February 2008.

    S3
    US Centers for Disease Control and Prevention. Colorectal cancer screening guidelines. Reviewed/updated 16 Feb 2007. Available online at http://www.cdc.gov. Accessed 15 Feb 2008.

    S4
    Bernard Levin, MD, et al. Screening and Surveillance for the Early Detection of Colorectal Cancer and Adenomatous Polyps, 2008: A Joint Guideline from the American Cancer Society, the US Multi-Society Task Force on Colorectal Cancer, and the American College of Radiology. CA Cancer J Clin 2008. Available online at http://caonline.amcancersoc.org. Accessed February 2008.

    S5
    American Cancer Society. Press release: Health Groups Issue Updated Colorectal Cancer Screening Guidelines; Recommendations Include Two New Tests and Preference for Tests that Detect Precancerous Polyps. Atlanta 2008/03/05. Available online at http://www.cancer.org. Accessed February 2008.

    S6
    Thomas, Clayton L., Editor (1997). Taber’s Cyclopedic Medical Dictionary. F.A. Davis Company, Philadelphia, PA [18th Edition].

    S7
    Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (2001). Mosby’s Diagnostic and Laboratory Test Reference 5th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO.

    S8
    Kirchner, J. (2001, June 1). Fecal Occult Blood Testing to Screen for Colon Cancer. American Family Physician [On-line serial]. Available online at http://www.aafp.org.

    S9
    Apgar, B. (2000, March 15). Guaiac Examination of the Rectum for Fecal Blood. American Family Physician [On-line serial]. Available online at http://www.aafp.org.

    S10
    CDC (2001, March 9). CDC says colorectal cancer screening rates remain low. Centers for Disease Control [Press Release]. Available online at http://www.cdc.gov.

    S11
    MedlinePLUS (Page updated 2002, January 2). Fecal occult blood test (FOBT). MedlinePLUS Encylopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/007008.htm.

    S12
    AGA (2001). Clinical Practice Recommendations -- People at Average Risk. The American Gastroenterological Association [On-line information]. Available online at http://www.gastro.org.

    S13
    NCI (2001, August 23). Questions and Answers about Screening, Early Detection, and Treatment for Colorectal Cancer. National Cancer Institute, Cancer Facts [On-line information]. Available online at http://cis.nci.nih.gov.

    S14
    Levin, B. et al. Emerging Technologies in Screening for Colorectal Cancer. CA Cancer J Clin 2003; 53:44-55. Available online at http://caonline.amcancersoc.org.

    S15
    CMS: Medicare Announces Intention to Cover Screening Immunoassay Fecal-Occult Blood Tests; November 5, 2003. Available online at http://www.cms.hhs.gov.