Perfil lipídico

Compartilhe esta página
Imprimir este artigo
Esta página foi útil?

Perguntas frequentes

1. Fiz uma triagem de colesterol. O resultado foi menor que 200 mg/dL. Preciso fazer um perfil lipídico?
Se o seu colesterol total está abaixo de 200 mg/dL e você não tem uma história familiar de doença cardíaca ou outros fatores de risco, não é necessário um perfil lipídico. Entretanto, pode ser aconselhável uma medida do colesterol HDL para verificar se ele não está baixo. Muitos programas de triagem oferecem as medidas de colesterol total e colesterol HDL.

2. Meus resultados de perfil lipídico vieram com triglicerídeos altos e sem resultado de colesterol LDL. Por quê?
Na maioria dos perfis de triagem, o colesterol LDL é calculado a partir de outras medidas de lipídios. Entretanto, o cálculo não é válido se os triglicerídeos estiverem acima de 400 mg/dL. Nesses casos, para determinar o colesterol LDL são necessárias técnicas especiais, como o colesterol LDL direto ou ultracentrifugação de lipídios.

3. O que é VLDL?
As lipoproteínas de densidade muito baixa (em inglês, VLDL – very low density lipoproteins) formam um dos três principais grupos de partículas de lipídios. As outras duas são as lipoproteínas de alta densidade (HDL – high density lipoproteins) e as lipoproteínas de baixa densidade (LDL – low density lipoproteins). Cada tipo de partícula contém uma mistura de colesterol, triglicerídeos e proteínas, em diferentes proporções. As LDL contêm mais colesterol, as HDL mais proteínas e as VLDL mais triglicerídeos. Como as VLDL contêm a maior parte dos triglicerídeos circulantes e a composição das diferentes partículas é relativamente constante, é possível avaliar a quantidade de colesterol VLDL dividindo o resultado dos triglicerídeos (em mg/dL) por 5. Como, no momento, não há um modo simples e direto e medir o colesterol VLDL, esse cálculo é usado na maioria dos laboratórios, mas não é válido para valores de triglicerídeos acima de 400 mg/dL (veja pergunta 2, acima). Níveis aumentados de colesterol VLDL estão associados a risco aumentado de doença cardíaca e acidente vascular cerebral.

4. O que é o colesterol não-HDL?
Representa o “colesterol aterogênico” – colesterol que pode se acumular nas artérias, formar placas e causar estreitamento e bloqueio de vasos sanguíneos. É calculado subtraindo o colesterol HDL do colesterol total. Ao contrário do cálculo do colesterol VLDL, esse cálculo não é afetado por níveis altos de triglicerídeos. O colesterol não-HDL pode ser usado para avaliar o risco de doença cardiovascular, especialmente com níveis altos de triglicerídeos, porque valores altos estão associados a risco aumentado. Como recomendado pelo National Cholesterol Education Program, dos EUA, no Adult Treatment Plan III, se a pessoa tem níveis altos de triglicerídeos, os resultados do colesterol não-HDL podem ser usados como objetivos secundários de mudanças de estilo de vida e medicamentos para reduzir os níveis de lipídios.

5. Há algo mais que devo saber?
Há um interesse crescente na medida dos triglicerídeos em pessoas que não estão em jejum. A razão para isso é que a amostra sem jejum pode ser mais representativa dos níveis circulantes “usuais” de triglicerídeos porque, na maior parte do dia, os níveis de lipídios são pós-prandiais, e não em jejum. Entretanto, não se sabe ainda como interpretar esses resultados em termos de avaliação de risco, e permanecem as recomendações atuais de jejum antes da colheita dos exames de lipídios.

 

« Anterior | Seguinte »