Testosterona

Compartilhe esta página
Imprimir este artigo
Esta página foi útil?
Também chamado: Testosterona total
Nome formal: Testosterona
Exames relacionados: Hormônio Folículo Estimulante (FSH), Hormônio Luteinizante (LH), Globulina de Ligação de Hormônio Sexual (SHBG), testosterona livre e biodisponível (ver seção FAQ), diidrotestosterona (DHT), estradiol (ver Estrogênio), hormônio liberador de gonadotrofina, Sulfato de Desidroepiandrosterona (DHEAS)

De relance

Por que fazer este exame?

Para detectar níveis anormais de testosterona em pacientes do sexo masculino ou feminino. Nos homens, níveis anormais ajudam a explicar dificuldades com a ereção (disfunção erétil), para engravidar a parceira (infertilidade) ou puberdade prematura ou tardia. Nas mulheres, ajuda a explicar o surgimento de características masculinas (virilização), dificuldade de engravidar, além de servir como indicador da Síndrome do Ovário Policístico (SOPC).

Quando fazer este exame?

Pacientes do sexo masculino com suspeita de infertilidade ou que tenham dificuldade de manter a ereção, jovens do sexo masculino com maturidade sexual prematura ou tardia, jovens do sexo feminino que apresentam traços masculinos, como engrossamento da voz ou pelos corporais em excesso (hirsutismo) ou que se apresentam com amenorreia ou infertilidade.

Amostra:

Amostra de sangue retirada de veia do braço.

A amostra

O que está sendo pesquisado?

A testosterona é um hormônio esteróide (androgênio) produzido por tecido endócrino especializado (as células de Leydig) nos testículos. Sua produção é estimulada e controlada pelo hormônio luteinizante (LH), que é sintetizado na adenoipófise . A testosterona é regulada por mecanismo de retroalimentação (feedback) negativa. À medida que sua concentração aumenta, o LH diminui. Mas se este aumenta, provoca redução dos níveis de testosterona. Este hormônio aumenta durante o dia, com pico nas primeiras horas da manhã (entre 4 a 8h) e tem níveis menores no final da tarde (entre 16 a 20h). Seus níveis também aumentam com atividades físicas, mas são reduzidos com a idade. Cerca de dois terços da testosterona circula na corrente sanguínea ligada a uma proteína ligadora, e pouco menos de um terço se mantém ligado à albumina. Um porcentual pequeno (cerca de 1% a 4%) circula como testosterona livre.

Nos indivíduos do sexo masculino, a testosterona estimula o desenvolvimento dos caracteres sexuais secundários, incluindo aumento do tamanho do pênis, crescimento de pelos, desenvolvimento dos músculos e engrossamento da voz. Encontra-se presente em grande quantidade em pessoas do sexo masculino durante a puberdade e em adultos jovens para regular o impulso sexual e manter a massa muscular. A testosterona também é produzida nas suprarrenais de ambos os sexos e, em pequena quantidade, pelos ovários. Nas mulheres, é convertida em estradiol, o principal hormônio sexual feminino.

Como a amostra é obtida para o exame?

Uma amostra de sangue é colhida de veia do braço.

NOTA: Se exames médicos em você ou em alguém importante para você o deixam ansioso ou constrangido, ou se você tem dificuldade de lidar com eles, leia um ou mais dos seguintes artigos: Lidando com dor, desconforto ou ansiedade durante o exame, Conselhos sobre exames de sangue, Conselhos para ajudar crianças durante exames médicos, and Conselhos para ajudar idosos durante exames médicos.

Outro artigo, Siga essa amostra, fornece uma visão da coleta e do processamento de uma amostra de sangue e de uma amostra de cultura da garganta.

É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra?

Não há necessidade de preparo.

O exame

Perguntas frequentes

Pergunte ao laboratório

* indica um campo necessário



Por favor, indique se você é:   
  
  



Você deve fornecer um endereço de e-mail válido para receber uma resposta.



| |

Fontes do artigo

« Voltar para páginas relacionadas

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas.

Sources Used in Current Review

Pagana K, Pagana T. Mosby's Manual of Diagnostic and Laboratory Tests. 3rd Edition, St. Louis: Mosby Elsevier; 2006, Pp 481-484.

(January 2006) The Hormone Foundation. Low Testosterone and Men’s Health. PDF available for download at http://www.hormone.org/Resources/Reproduction/upload/bilingual_Testosterone.pdf through http://www.hormone.org. Accessed January 2009.

(January 2008) Eugster E, Palmert M, eds. The Hormone Foundation. Precocious Puberty. PDF available for download at http://www.hormone.org/Resources/Growth/upload/bilingual_precocious_puberty.pdf through http://www.hormone.org. Accessed January 2009.

Tietz Textbook of Clinical Chemistry and Molecular Diagnostics. Burtis CA, Ashwood ER, Bruns DE, eds. St. Louis: Elsevier Saunders; 2006.

(March 18, 2008) Holt E. MedlinePlus Medical Encyclopedia. Testosterone. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/003707.htm. Accessed January 2009.

(December 9, 2008) Mayo Clinic. Male hypogonadism. Available online at http://www.mayoclinic.com/health/male-hypogonadism/DS00300 through http://www.mayoclinic.com. Accessed January 2009.

Sources Used in Previous Reviews

Clinical Chemistry: Theory, Analysis, Correlation. 3rd Edition. Lawrence A. Kaplan and Amadeo J. Pesce, St. Louis, MO. Mosby, 1996.

Clinical Chemistry: Principles, Procedures, Correlations. Michael L. Bishop, Janet L. Duben-Engelkirk, Edward P. Fody. Lipincott Williams & Wilkins, 4th Edition.

The Gale Encyclopedia of Childhood and Adolescence: Testosterone. Available online at http://www.findarticles.com/p/articles/mi_g2602 through http://www.findarticles.com.

Laurence M. Demers, PhD. Distinguished Professor of Pathology and Medicine, The Pennsylvania State University College of Medicine, The M. S. Hershey Medical Center, Hershey, PA.