Também conhecido como
Colesterol Total
Nome formal
Colesterol
Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em
27 de Maio de 2018.
De relance
Por que fazer este exame?

Para avaliar o risco de doença cardíaca

Quando fazer este exame?

Adultos devem ser examinados a cada cinco anos ou com maior frequência se estiverem em tratamento por causa de colesterol alto ou apresentarem outros fatores de risco de doença cardíaca. Também deve ser examinado o colesterol de crianças e adolescentes com fatores de risco.

Amostra:

Uma amostra de sangue de uma veia do braço ou de punção de um dedo.

É necessária alguma preparação?

Se o teste for parte de um perfil lipídico, é necessário jejum de 9 a 12 horas antes da colheita do sangue. Só é permitida a ingestão de água.

O que está sendo pesquisado?

O colesterol é uma substância (um esteroide) essencial para a vida. Faz parte das membranas de todas as células do corpo. É usado para fabricar hormônios essenciais para o desenvolvimento, o crescimento e a reprodução. Forma ácidos biliares necessários para a absorção de nutrientes dos alimentos. Uma pequena parte do colesterol do corpo circula no sangue em partículas complexas chamadas lipoproteínas. Estas incluem partículas que transportam o excesso de colesterol dos tecidos para serem eliminadas no fígado (colesterol HDL, colesterol “bom”) e partículas que depositam o colesterol nos tecidos e órgãos (colesterol LDL, colesterol “mau”). O exame de colesterol mede o colesterol total (bom e mau) no sangue.

O corpo produz o colesterol necessário para seu funcionamento, mas ele também é absorvido da dieta. Quem apresenta predisposição hereditária para níveis altos de colesterol ou ingere muitos alimentos ricos em colesterol, gorduras saturadas e gorduras insaturadas trans, os níveis no sangue podem aumentar até serem prejudiciais à saúde. O excesso de colesterol pode se depositar em placas nas paredes dos vasos sanguíneos. Elas endurecem as paredes das artérias (aterosclerose) e estreitam ou bloqueiam o fluxo de sangue, aumentando o risco de numerosos problemas de saúde, incluindo doença cardíaca e acidente vascular cerebral.

É importante para a saúde monitorar e manter níveis normais de colesterol.

Como a amostra é obtida para o exame?

Na maioria dos casos, é colhida uma amostra de sangue de uma veia do braço. Algumas vezes, o colesterol é medido usando uma gota de sangue colhida por punção de um dedo. Esse tipo de amostra em geral é usado quando o colesterol é medido em um aparelho portátil, como, por exemplo, em uma feira de saúde.

NOTA: Se exames médicos em você ou em alguém importante para você o deixam ansioso ou constrangido, ou se você tem dificuldade de lidar com eles, leia um ou mais dos seguintes artigos: Lidando com dor, desconforto ou ansiedade durante o exame, Conselhos sobre exames de sangue, Conselhos para ajudar crianças durante exames médicos, e Conselhos para ajudar idosos durante exames médicos.

Outro artigo, Siga essa amostra, fornece uma visão da coleta e do processamento de uma amostra de sangue e de uma amostra de cultura da garganta.

É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra?

Não há necessidade de jejum se o único exame a ser feito for de colesterol. Entretanto, se fizer parte de um perfil lipídico, o que é mais comum, é necessário jejum de 9 a 12 horas antes da colheita. Só é permitida a ingestão de água.
Accordion Title
Perguntas frequentes
  • Como o exame é usado?

    O colesterol é diferente de outros exames porque não é usado para diagnosticar ou monitorar uma doença e, sim, para avaliar o risco de desenvolver uma doença, especificamente doença cardíaca. Como colesterol alto está associado a endurecimento das artérias (aterosclerose), a doença cardíaca e ao risco elevado de morte por infarto do miocárdio, o exame é feito como parte da rotina de cuidados preventivos de saúde.

  • Quando o exame é pedido?

    É recomendado como exame de triagem em todos os adultos a cada 5 anos. Com frequência é feito em um exame de saúde de rotina. Em geral, é pedido em combinação com outros testes, incluindo colesterol HDL, colesterol LDL, e triglicerídeos. Esse grupo é chamado perfil lipídico.

    O colesterol é feito com mais frequência, diversas vezes por ano, em pacientes em tratamento com dieta e/ou medicamentos para reduzir seus níveis. O exame é usado para acompanhar a eficácia do tratamento para reduzir o risco de doença cardíaca.

    Também pode ser pedido com mais frequência para pessoas com fatores de risco de doença cardíaca, que incluem:

    • Fumo.
    • Idade (homens com 45 anos de idade ou mais e mulheres com 55 anos de idade ou mais).
    • Hipertensão arterial (pressão arterial 140/90 ou mais, ou pacientes em uso de medicamentos anti-hipertensivos).
    • História familiar de doença cardíaca prematura (doença cardíaca em parente próximo – homem com menos de 55 anos de idade ou mulher com menos de 65 anos de idade).
    • Doença cardíaca preexistente ou infarto do miocárdio no passado.
    • Diabetes melito.

    Não é pedido com frequência para pessoas com menos de 20 anos de idade sem fatores de risco. Entretanto, é recomendado como parte de um perfil lipídico para crianças e jovens com risco aumentado de desenvolvimento de doença cardíaca na vida adulta. Alguns desses fatores de risco são semelhantes aos do adulto e incluem:

    • História familiar: história de colesterol alto ou de doença cardíaca em parentes próximos, especialmente homens com menos de 55 anos de idade e mulheres com menos de 65 anos de idade. Se a história familiar não for conhecida, recomenda-se a dosagem de colesterol, em especial quando há outros fatores de risco.
    • Excesso de peso ou obesidade. É recomendada a dosagem de colesterol quando o índice de massa corporal estiver acima do percentil 85. Esse índice deve ser calculado pelo menos uma vez por ano pelo médico. A medida do colesterol é recomendada a cada dois anos para jovens obesos, com índice de massa corporal acima do percentil 85.
    • Consumo excessivo de colesterol, gorduras saturadas e gorduras insaturadas trans.
    • Diabetes melito.
    • Hipertensão arterial.
    • Fumo.

    Crianças com fatores de risco devem medir o colesterol a partir de 2 a 10 anos de idade, de acordo com a American Academy of Pediatrics, dos EUA. Crianças com menos de dois anos de idade são muito jovens para serem testadas. Se os resultados iniciais não forem preocupantes, o exame em jejum deve ser repetido em três a cinco anos.

  • O que significa o resultado do exame?

    Para adultos, em um ambiente de rotina de avaliação de risco, os resultados podem ser grupados em três categorias de risco:

    • Desejável: resultado abaixo de 200 mg/dL é considerado desejável e reflete baixo risco de doença cardíaca.
    • Limítrofe: resultado entre 200 e 239 mg/dL é considerado de risco moderado. O médico pode pedir um perfil lipídico para verificar se é devido a aumento do “mau” colesterol (colesterol LDL) ou do “bom” colesterol (colesterol HDL) A conduta médica vai depender dos resultados do perfil.
    • Alto risco: resultado igual ou maior que 240 mg/dL é considerado de alto risco. O médico pode pedir um perfil lipídico (e outros exames) para determinar a causa do aumento do colesterol e, ao descobri-la, prescreverá o tratamento adequado.

    As categorias de risco para crianças e adolescentes são diferentes das de adultos. Converse com o pediatra sobre os resultados de seus filhos.

    O exame é usado para verificar a redução do colesterol em quem está sob tratamento, que tem o objetivo (valor desejado) estabelecido pelo médico, em geral com base no colesterol LDL.

  • Há mais alguma coisa que eu devo saber?

    O colesterol não deve ser medido quando a pessoa está doente. Valores temporariamente baixos ocorrem durante doenças agudas, logo após infarto do miocárdio ou em situações de estresse, como cirurgia ou acidente. Deve-se aguardar pelo menos seis semanas após qualquer doença para medir o colesterol.

    Há debates sobre o significado de valores muito baixos de colesterol. Abaixo de 100 mg/dL é encontrado em pessoas com problemas como desnutrição, doença hepática, ou câncer. Entretanto, não há evidências de que níveis baixos de colesterol causem problemas.

    O colesterol se eleva durante a gravidez. É recomendado esperar pelo menos seis semanas após o parto antes de medi-lo.

    Alguns medicamentos causam aumento dos níveis de colesterol, incluindo esteroides anabolizantes, beta bloqueadores, adrenalina, anticoncepcionais orais e vitamina D.

  • O que causa aumento do colesterol?

    O aumento do colesterol pode resultar de uma tendência herdada ou de uma dieta inadequada. Em muitas pessoas, é causado por uma combinação de tendência hereditária e uma dieta rica em colesterol, gorduras saturadas e gorduras insaturadas trans.

  • Que tratamentos são recomendados se meus resultados estiverem muito altos?

    O tratamento de escolha é adotar um estilo de vida que ajuda a manter os níveis baixos, incluindo exercícios e uma dieta com pouco colesterol e poucas gorduras saturadas e insaturadas trans. Uma dieta com pouca gordura em geral reduz o colesterol em cerca de 8%. Se dieta e exercícios não forem suficientes, são recomendados medicamentos, em geral com o objetivo de reduzir especificamente os níveis de colesterol LDL. Algumas vezes, podem ser usados dois medicamentos diferentes para tratar pessoas com níveis muito altos de colesterol. Os remédios indicados variam para diferentes pacientes, mas os mais usados para reduzir lipídios são as estatinas. Outros medicamentos prescritos incluem sequestradores de ácidos biliares, niacina e fibratos. O médico precisa avaliar o paciente antes de prescrever qualquer um desses medicamentos.

  • Se me colesterol está alto, qual é o risco de infarto do miocárdio?

    O colesterol alto aumenta o risco de infarto do miocárdio. Quando mais alto o colesterol maior o risco, que também é afetado por muitos outros fatores como fumo, diabetes, idade e hipertensão arterial. Para informações adicionais sobre fatores de risco, leia o artigo da American Heart Association, dos EUA, sobre colesterol Am I At Risk? (Eu estou em risco?).

  • Minha dieta e meu padrão de exercícios não mudaram, mas meu colesterol aumentou desde o último exame. Por quê?

    Os níveis de colesterol variam com o tempo, podendo aumentar ou diminuir até 10% entre um mês e outro. Essas alterações são chamadas variação biológica, e refletem oscilações normais do metabolismo humano.

  • O médico disse que meu colesterol estava alto mas, em vez de me tratar, disse para eu esperar alguns meses e repetir o exame. Por quê?

    Os níveis de colesterol variam com o tempo. Uma única medida pode não representar o nível “usual”. Por isso, é aconselhável fazer pelo menos duas medidas separadas por diversas semanas ou meses antes de inicial qualquer tratamento, que se baseia no valor médio.

Fontes do artigo

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas.

 

Fontes usadas na revisão atual

American Heart Association. How to Get Your Cholesterol Tested. (Updated April 4, 2008) Available online at http://americanheart.org/presenter.jhtml?identifier=541 through http://americanheart.org. Accessed July 2008.

Third Report of the National Cholesterol Education Program (NCEP) Expert Panel on Detection, Evaluation, and Treatment of High Blood Cholesterol in Adults (Adult Treatment Panel III). May 2001. PDF available for download at http://www.nhlbi.nih.gov/guidelines/cholesterol/atp3full.pdf through http://www.nhlbi.nih.gov. Accessed July 2008.

American Academy of Family Physicians. Cholesterol: What Your Level Means. (Updated October 2007). Available online at http://familydoctor.org/online/famdocen/home/common/heartdisease/risk/029.html through http://familydoctor.org. Accessed July 2008.

Daniels, SR, Greer FR, and the Committee on Nutrition. Lipid screening and cardiovascular health in childhood (clinical report). Jul 2008. Pediatrics 122:198-208.

American Academy of Pediatrics. AAP issues new guidelines on cholesterol screening (press release). 7 Jul 2008. Available online at http://www.aap.org/new/july08lipidscreening.htm through http://www.aap.org. Accessed August 2008.

American Academy of Pediatrics Lipid Screening and Cardiovascular Health in Childhood. Pediatrics Vol. 122 No. 1 July 2008, pp. 198-208. Available online at http://aappolicy.aappublications.org/cgi/content/full/pediatrics;122/1/198 through http://aappolicy.aappublications.org. Accessed September 2008.

Fontes usadas em revisões anteriores

Thomas, Clayton L., Editor (1997). Taber’s Cyclopedic Medical Dictionary. F.A. Davis Company, Philadelphia, PA [18th Edition].

Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (2001). Mosby’s Diagnostic and Laboratory Test Reference 5th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO.

National Heart, Lung, and Blood Institute of the National Institutes of Health, United States Department of Health and Human Services. Third report of the National Cholesterol Education Program (NCEP) Expert Panel on detection, evaluation, and treatment of high blood pressure in adults (Adult Treatment Panel III). Bethesda, Md. 2001 May. Available online at http://www.nhlbi.nih.gov/guidelines/cholesterol/atp3_rpt.htm