Também conhecido como
Triglicérides
Nome formal
Triglicerídeos
Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em
22 de Maio de 2018.
De relance
Por que fazer este exame?

Para avaliar o risco de doença cardíaca.

Quando fazer este exame?

Como parte do perfil lipídico durante um exame de saúde de rotina. Em pessoas com fatores de risco de doença cardiovascular ou que estão sendo tratadas por causa de níveis altos de triglicerídeos.

Amostra:

Uma amostra de sangue de uma veia ou de uma picada em um dedo.

É necessária alguma preparação?

Os padrões atuais recomendam que a colheita seja feita com a pessoa em jejum de 9 a 12 horas. Só é permitida a ingestão de água. Além disso, não deve ser ingerido álcool durante 24 horas antes da colheita.

O que está sendo pesquisado?

Esse exame mede a quantidade de triglicerídeos no sangue, que são uma forma de gordura e uma fonte de energia importante para o corpo. A maior parte dos triglicerídeos se encontra no tecido gorduroso (adiposo) do corpo, mas uma quantidade circula no sangue para fornecer combustível para os músculos. Depois que a pessoa se alimenta, os níveis sanguíneos de triglicerídeos aumentam enquanto o corpo converte em gordura a energia que não vai ser usada imediatamente.

Os triglicerídeos são transportados pelo sangue do intestino para serem armazenados no tecido gorduroso. Entre as refeições, triglicerídeos são liberados do tecido gorduroso para serem usados como fonte de energia pelo corpo. A maior parte dos triglicerídeos é transportada no sangue por lipoproteínas chamadas lipoproteínas de densidade muito baixa (em inglês, VLDL, very low density lipoproteins).

Níveis altos de triglicerídeos no sangue estão associados a um risco aumentado de doença cardiovascular, embora as razões para isso não sejam bem compreendidas. Alguns fatores podem contribuir para elevar os níveis de triglicerídeos e para o risco de doença cardiovascular, incluindo falta de exercício, excesso de peso, fumo, consumo excessivo de álcool e problemas clínicos como diabetes e doença renal.

Como a amostra é obtida para o exame?

Uma amostra de sangue é obtida inserindo uma agulha em uma veia do braço. Algumas vezes, uma gota de sangue é colhida puncionando um dedo com uma lanceta. Esse tipo de amostra é usado para avaliar o perfil lipídico (colesterol total, colesterol HDL, colesterol LDL e triglicerídeos) em um aparelho portátil usado, por exemplo, em uma feira de saúde.

NOTA: Se exames médicos em você ou em alguém importante para você o deixam ansioso ou constrangido, ou se você tem dificuldade de lidar com eles, leia um ou mais dos seguintes artigos: Lidando com dor, desconforto ou ansiedade durante o exame, Conselhos sobre exames de sangue, Conselhos para ajudar crianças durante exames médicos, e Conselhos para ajudar idosos durante exames médicos.

Outro artigo, Siga essa amostra, fornece uma visão da coleta e do processamento de uma amostra de sangue e de uma amostra de cultura da garganta.

É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra?

Os padrões atuais recomendam que a colheita seja feita com a pessoa em jejum de 9 a 12 horas. Só é permitida a ingestão de água. Além disso, não deve ser ingerido álcool durante 24 horas antes da colheita.
Accordion Title
Perguntas frequentes
  • Como o exame é usado?

    A medida dos triglicerídeos no sangue em geral é feita como parte de um perfil lipídico usado para avaliar o risco de doença cardíaca. Como parte do perfil lipídico, pode ser usada para monitorar pessoas com fatores de risco de doença cardíaca e aquelas que tiveram infarto do miocárdio ou que estão sendo tratadas por causa de níveis altos de triglicerídeos.

    Alguns fatores de risco para doença cardíaca incluem:

    • Fumo.
    • Idade (homens com 45 anos de idade ou mais e mulheres com 55 anos de idade ou mais).
    • Hipertensão arterial (pressão arterial de 140/90 ou mais ou pessoas em tratamento com medicamentos anti-hipertensivos).
    • História familiar de doença cardíaca prematura (em parentes próximos – homens com menos de 55 anos de idade e mulheres com menos de 65 anos de idade).
    • Diabetes melito.

    Em diabéticos, é importante medir os triglicerídeos como parte de exame dos lipídios porque eles aumentam quando os níveis de glicemia não estão bem controlados.

  • Quando o exame é pedido?

    O perfil lipídico, incluindo triglicerídeos, é recomendado a cada 5 anos em adultos saudáveis para avaliar o risco de doença cardíaca. O exame em geral não é pedido isolado porque o risco de doença cardíaca se baseia também nos níveis de colesterol (veja colesterol total, colesterol HDL, colesterol LDL). Pode ser pedido com maior frequência para quem têm fatores de risco de doença cardíaca identificados ou para monitorar pessoas que têm níveis altos de triglicerídeos e estão sendo tratadas.

    Os triglicerídeos e o perfil lipídico em geral não são pedidos para crianças e adolescentes sem fatores de risco. Entretanto, é recomendada uma triagem com perfil lipídico de crianças e jovens com risco aumentado de desenvolvimento de doença cardíaca na vida adulta. Alguns desses fatores de risco são semelhantes aos de adultos e incluem uma história familiar de doença cardíaca ou problemas de saúde, como diabetes, hipertensão arterial ou excesso de peso. Crianças com fatores de risco devem fazer seu primeiro perfil lipídico com 2 a 10 anos de idade, de acordo com a American Academy of Pediatrics, dos EUA. Crianças com menos de dois anos de idade são muito jovens para serem testadas.

  • O que significa o resultado do exame?

    Os triglicerídeos devem ser medidos como parte do perfil lipídico e o médico levará em consideração o resultado de cada componente do perfil.

    Em adultos, os resultados de triglicerídeos são classificados como:

    Nota: Esses valores se baseiam nos níveis de triglicerídeos em jejum.

    Níveis altos de triglicerídeos estão associados a um aumento do risco de doença cardíaca. Níveis elevados podem ser devido a diversas causas, incluindo:

    Quando os triglicerídeos estão muito altos (mais de 1.000 mg/dL) há risco de desenvolver pancreatite. O tratamento para diminuir os triglicerídeos deve ser iniciado o mais cedo possível.

    A classificação dos resultados de triglicerídeos em crianças e adolescentes é diferente da de adultos. Converse com o pediatra sobre os resultados de seus filhos.

  • Há mais alguma coisa que eu devo saber?

    Os triglicerídeos podem ficar muito altos se a pessoa for diabética e sua glicemia estiver fora de controle.

    Os triglicerídeos aumentam muito após as refeições, chegando a valores 5 a 10 vezes maiores que os de jejum algumas horas após a pessoa se alimentar. Mesmo os níveis em jejum variam bastante de um dia para o outro. Assim, variações modestas entre exames feitos em dias diferentes não são consideradas anormais.

    Alguns medicamentos, como corticoesteroides, inibidores de proteases usados no tratamento de HIV, beta bloqueadores e estrogênios podem aumentar os níveis de triglicerídeos.

    Há um interesse crescente na medida dos triglicerídeos em pessoas que não estão em jejum. A razão para isso é que a amostra sem jejum pode ser mais representativa dos níveis circulantes “usuais” de triglicerídeos porque, na maior parte do dia, os níveis de lipídios são pós-prandiais, e não em jejum. Entretanto, não se sabe ainda como interpretar esses resultados em termos de avaliação de risco, e permanecem as recomendações atuais de jejum antes da colheita dos exames de lipídios.

  • Que tratamentos podem ser usados para diminuir os níveis de triglicerídeos?

    Em muitas pessoas, níveis altos de triglicerídeos são causados por distúrbios como diabetes, obesidade, doença renal ou alcoolismo. Nesses casos, o tratamento é o da causa principal. Quando a elevação dos níveis de triglicerídeos não é causada por outro distúrbio, ela em geral acompanha uma elevação do colesterol, e o tratamento tem o objetivo de diminuir os níveis de colesterol e de triglicerídeos.

    O primeiro passo para diminuirs esses niveis é fazer mudanças de estilo de vida, como uma dieta saudável e aumento de atividade física. Se não forem suficientes, em geral são recomendados medicamentos para baixar os níveis de lipídios, como estatinas.

    Para informações adicionais, visite a página da American Heart Association sobre Recomendações de dieta e de estilo de vida.

  • Posso monitorar os níveis de triglicerídeos em casa?

    Existem alguns produtos para avaliar em casa os níveis de lipídios, incluindo triglicerídeos. Há dois tipos de exames que se pode fazer: um em que você colhe o sangue em casa e o envia para o laboratório e outro em que você mesmo faz o exame (automonitoração).

    A Americam Heart Association, dos EUA, não se posicionou em relação ao uso de aparelhos para medir lipídios em casa. Antes de se decidir a usá-los, sugerimos que leia o artigo sobre exames em casa, em nosso site: With Home Testing, Consumers Take Charge of Their Health [Com exames em casa, os consumidores assumem o controle de sua saúde].

  • O que é VLDL e como se relaciona com os triglicerídeos?

    Lipoproteínas de densidade muito baixa (em inglês, VLDL – very low density lipoproteins) são um dos três tipos de proteínas transportadoras de lipídios no sangue. Os outros são HDL (lipoproteínas de alta densidade) e LDL (lipoproteínas de baixa densidade). Todas formam partículas contendo proteínas, colesterol e triglicerídios, em quantidades variáveis para cada tipo de partícula.

    As LDL contêm a maior quantidade de colesterol, as HDL têm mais proteínas e as VLDL maior quantidade de triglicerídeos. Como as VLDL possuem a maior parte dos triglicerídeos circulantes, e a composição das diferentes partículas é relativamente constante, é possível avaliar a quantidade de colesterol VLDL dividindo o resultado dos triglicerídeos (em mg/dL) por 5.

    Como no momento não há uma forma simples e direta de medir o colesterol VLDL, essa fórmula é usada na maioria dos laboratórios. O cálculo não é valido quando os triglicerídeos estão acima de 400 mg/dL. Mostrou-se que níveis altos de colesterol VLDL estão associados a um risco aumentado de doença cardíaca e de acidente vascular cerebral.

Fontes do artigo

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas.

 

Fontes usadas na revisão atual.

American Heart Association. Triglycerides. Available online at http://www.americanheart.org/presenter.jhtml?identifier=4778 through http://www.americanheart.org. Accessed September 2008.

Pagana K, Pagana T. Mosby's Manual of Diagnostic and Laboratory Tests. 3rd Edition, St. Louis: Mosby Elsevier; 2006. Pp 513-515.

(May 2001) Third Report of the National Cholesterol Education Program (NCEP) Expert Panel on Detection, Evaluation, and Treatment of High Blood Cholesterol in Adults (Adult Treatment Panel III). PDF available for download at http://www.nhlbi.nih.gov/guidelines/cholesterol/atp3full.pdf through http://www.nhlbi.nih.gov. Accessed September 2008.

(April 23, 2007) Mayo Clinic. VLDL cholesterol: What is it? Available online at http://www.mayoclinic.com/health/vldl-cholesterol/AN01335 through http://www.mayoclinic.com. Accessed September 2008.

(June 21, 2008) Mayo Clinic. Triglycerides: Why do they matter? Available online at http://www.mayoclinic.com/health/triglycerides/CL00015 through http://www.mayoclinic.com. Accessed September 2008.

Fontes usadas em revisões anteriores

Thomas, Clayton L., Editor (1997). Taber’s Cyclopedic Medical Dictionary. F.A. Davis Company, Philadelphia, PA [18th Edition].

Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (2001). Mosby’s Diagnostic and Laboratory Test Reference 5th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO.

American Heart Association. What are healthy levels of cholesterol? Available online at http://216.185.112.5/presenter.jhtml?identifier=183.

American Heart Association. Cholesterol, Home testing devices. Available online at http://www.americanheart.org/presenter.jhtml?identifier=4501 through http://www.americanheart.org. Accessed August 2007.